Pressão baixista ganha intensidade no mercado do boi gordo


Apesar de ainda não dispor de ofertas de gado para abater que possam ser consideradas abundantes, o mercado físico do boi gordo voltou a registrar um maior número de quedas nos preços da arroba nesta semana. Na prática, a oferta de boiada terminada, ainda relativamente limitada, é suficiente para gerar espaço à pressões negativas.

A maioria dos negócios relatados correspondem a lotes menores, que geralmente envolvem os preços mínimos dos intervalos vigentes. Mesmo com a restrição do volume de compras, existem relatos de formação de estoques nas câmaras frias de indústrias frigoríficas. Tal situação é consequência da lentidão das vendas nos mercados doméstico e externo, a qual continua influenciando a tomada de decisão das indústrias frigorificas nos processos de compra.

A inconsistência da demanda ao mesmo tempo que diminui a quantidade de animais a adquirir faz com que os pecuaristas se sintam mais inseguros quanto ao comportamento futuro dos preços. O que desestimula eventuais estratégias de retenção de animais para comercialização futura, e resulta uma maior pressão baixista sobre os preços.

Neste contexto, além da tentativa de forçar baixas nos preços, a indústria frigorífica adota estratégias como realocar escalas, paralisar algumas plantas e utilizar gado de confinamentos próprios para minimizar ao máximo as aquisições no mercado spot. No atacado, as vendas continuaram fracas forçando novos recuos nos preços dos principais cortes. 

Fonte: FNP

Copyright © 2020 Pastagem.org. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um Software Livre liberado sob os termos da Licença Pública Geral GNU.