Matemática é aplicada à otimização de granja no interior paulista


Uma parceria entre uma granja na região de Jundiaí (SP) e o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP, monitora remotamente as condições em que frangos são criados para o abate e utiliza modelos matemáticos para aperfeiçoar a criação e otimizar o crescimento dos animais e a produção.

“A transformação em carne, relacionada com o aumento do peso do animal, é o coeficiente que mede a eficiência e o custo do frango, e a matemática pode auxiliar no alcance dos resultados desejados por meio de modelos que procuram emular o que ocorre na realidade, utilizando padrões que são aprendidos do comportamento da granja, um sistema complexo dentro do qual se quer manter as condições ambientais as melhores possíveis, pois isso permite que eles se alimentem bem, engordem e sejam mais produtivos”, disse José Mário Martínez, do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (Imecc) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), um dos pesquisadores principais do CeMEAI.

De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), a demanda por carne de frango no Brasil é crescente e deve subir de 43 para 45 quilos por pessoa até o fim do ano. As exportações também devem subir de 2% a 3%.O Brasil é o maior exportador de carne de frango e o terceiro maior produtor. Leia mais.

Fonte: Agência FAPESP

Copyright © 2020 Pastagem.org. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um Software Livre liberado sob os termos da Licença Pública Geral GNU.