Precisamos falar da pecuária na Amazônia


O cenário de inovações para a agropecuária no Brasil se constitui em um vasto campo de oportunidades para nossos produtores. A pesquisa nacional amadureceu expressivamente na última década e desenvolveu novas práticas que permitem uma verdadeira transformação produtiva.

Esse movimento é central para a temática do agronegócio brasileiro. Por um lado, o país possui o maior rebanho comercial bovino do mundo, com 212 milhões cabeças, e é um dos maiores exportadores de carne bovina - em toneladas e em faturamento. Por outro, apresenta taxas produtivas abaixo das que registram os seus concorrentes. Se estamos em um terreno confortável, é preciso pensar que o cenário atual passa por mudanças e que novas preocupações se colocam frente aos produtores nacionais.

A pecuária ocupa hoje 220 milhões de hectares do território, sendo que 70 milhões de hectares estão localizados na região Amazônica. Só que a expansão da atividade é apontada como uma das principais razões para a intensificação do desmatamento ilegal. No passado era possível expandir as fronteiras de produção na Amazônia com baixo custo, desmatando a floresta intocada. Hoje, o cenário é bem diferente. 

A pecuária precisa dar um salto do atual sistema extensivo de baixa rentabilidade para um sistema de produção tecnificado e mais produtivo, integrado diretamente ou indiretamente à cadeia do agronegócio. Ou então terá de abrir terreno à expansão agrícola e perder espaço devido à preocupação global com o meio ambiente. Leia mais.

Fonte: Época

 

Copyright © 2020 Pastagem.org. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um Software Livre liberado sob os termos da Licença Pública Geral GNU.