Emissão de GEE


A agropecuária contribui significativamente para o aquecimento global, já que a maior parte das suas atividades emite gases de efeito estufa (GEE).  Por outro lado, atualmente a demanda por produtos com menor impacto no meio ambiente vem aumentando, devido conscientização dos consumidores e ao crescente investimento do gorveno em programas de redução de GEE, com linhas de financiamento específicas para as atividades agropecuárias.  Neste sentido, entender como as atividades da sua propriedade contribuem para esse impacto, medindo as emissões de GEEs, é de suma importância e pode garantir a você vantagens financeiras e estratégicas.

Aqui apresentamos um passo a passo elaborado para atender essa necessidade, possibilitando aos produtores:

  • Incluir a medição e a redução de emissões de GEE nas suas atividades (estratégias de produção e planejamento anual);
  • Identificar oportunidades de redução das emissões de GEE;
  • Acompanhar o progresso buscando uma meta de redução de GEE;
  • Buscar financiamento para auxiliar essa atividade;
  • Divulgar os resultados aos investidores e também aos consumidores;
  • Responder às demandas nacionais e internacionais por produtos menos intensivos na emissão de carbono.

 

Como buscar financiamento?

Diante deste cenário, o desafio é evoluir das práticas convencionais para atividades agropecuárias de baixa emissão de carbono, sem deixar de proporcionar renda aos produtores e alimentos de qualidade com preços acessíveis para a população. Atualmente existem linhas de crédito específicas para produtores que adotam práticas mais sustentáveis.

O Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono, do Governo federal, por meio do Programa para Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (Programa ABC) financia práticas e tecnologias adequadas e também sistemas produtivos eficientes que contribuem para redução dos gases causadores do efeito estufa. O programa ABC também oferece crédito com prazos de carência e de pagamento diferenciados, além de taxas de juros mais baixas.

Para mais informações sobre esses financiamentos, acesse os links abaixo:

  • Cartilha do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, traz um guia sobre as condições de financiamento e regras de acesso do Programa ABC, além de uma visão geral da Agricultura de Baixo Carbono: clique aqui;
  • Manual de Crédito Rural do Programa ABC, manual com os regulamentos do crédito do Programa ABC: clique aqui;
  • Informações gerais sobre financiamentos do BNDES para o Programa ABC: clique aqui;
  • Informações gerais sobre financiamentos do Banco do Brasil para o Programa ABC: clique aqui;

Existem outras linhas de financiamento que investem em outras medidas sustentáveis, além da Agricultura de Baixo Carbono. Para conhecer mais sobre esses financiamentos, acesse os links abaixo:

  • Pronaf - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, informações gerais e documentos necessários para solicitar financiamento para esse programa: clique aqui;
  • Agronegócio Sustentável, cartilha informativa sobre linhas de crédito do Banco do Brasil para atividades sustentáveis no agronegócio: clique aqui.

 

Como medir as emissões da sua propriedade?

O Instituto de Recursos Mundiais (WRI, World Resources Institute), juntamente com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas - SP), desenvolveram uma ferramenta para medir e as emissões agrícolas. Chamada de Ferramenta de Cálculo do GHG Protocol Agrícola (GHG Protocol é o projeto central do WRI voltado para a redução de emissões de GEE), essa ferramenta contabiliza as emissões de atividades não mecânicas, divididas entre pecuária, pastagem, soja, milho, algodão, trigo, feijão, arroz e cana-de-açúcar, sendo que as fontes de emissões consideradas são:

  • Adubação orgânica
  • Aplicação de calcário
  • Aplicação de defensivos agrícolas
  • Aplicação de fertilizante nitrogenado sintético
  • Aplicação de ureia
  • Consumo de energia elétrica
  • Cultivo de arroz
  • Dejetos de animais em pastagens
  • Fermentação entérica
  • Fontes secundárias (deposição atmosférica e lixiviação ou escoamento superficial)
  • Manejo de dejetos
  • Manejo de dejetos de animais (exceto animais em pastagens)
  • Mudança de uso do solo
  • Operações mecanizadas
  • Queima de resíduos vegetais
  • Resíduos das culturas 

Essa ferramenta foi elaborada como uma planilha do excel, composta por um conjunto de abas (Figura 1), onde a aba "Introdução" traz informações gerais do uso da ferramenta, com todo o passo a passo que permite seguir com o preenchimento para cada atividade e fontes de emissões mencionadas acima  (Figura 2). Para acessar a ferramenta, clique aqui.

Figura 1: Menu principal da planilha com todas as abas da ferramenta.

 

Figura 2: Exemplo de uma das orientações do uso da ferramenta presentes na introdução da planilha.

 

          Cada atividade possui uma aba única dentro da planilha, onde o preenchimento das informações é feito e o total das emissões para aquela atividade é gerado automaticamente na mesma aba (Figura 3).

Figura 3: Exemplo de uma aba de preenchimento.

 

          Ao final do preenchimento para cada atividade, na aba "Síntese de emissões" (Figura 4) ficará contabilizado o total de emissões informado em cada aba preenchida (Figura 5).

Figura 4: Síntese da contabilização das emissões para cada atividade.

 

Figura 5: Exemplo da síntese para uma atividade específica.

 

CAMPUS II Samambaia - Cx. POSTAL 131 - Goiânia - GO / CEP: 74001-970.
Telefone: (62) 3521-1360 / (62) 3521-1096
Email: contato@pastagem.org
Twitter: @pastagem_org